Produtos Ecológicos Para Construção

Construção com Produtos Ecológicos – Dicas

Confira dicas de produtos ecológicos para incrementar a sua construção, tornando ela sustentável gastando pouco, proporcionando uma econônima no bolso e ao mesmo tempo ajudando o meio ambiente.

Hoje em dia, é cada vez mais importante cuidar da natureza. Isso por que o planeta vem sofrendo com os abusos cometidos pelo homem e há muito já se fala sobre o quanto é importante buscar alternativas para cuidar da natureza e poluir menos. Já se tomaram medidas para que carros movidos a combustível poluam menos, buscando também utilizar biocombustíveis como o Etanol e a volta dos carros elétricos, que já eram muito utilizados na época dos bondes, mas que se perderam no tempo para a lucratividade do petróleo.

E não é só nos carros que a sociedade está procurando alternativas mais conscientes. Nós também estamos procurando utilizar materiais biodegradáveis. Roupas feitas de matérias que se decompõem mais rápido, passando menos tempo poluindo o solo. Embalagens feitas de materiais biodegradáveis. Sacolas ecológicas, que a cada dia ganham mais espaço nos carrinhos de compra dos clientes de supermercado. Isso por que, há muito tempo a sociedade vinha se acostumando a utilizar materiais que levam centenas, quando não milhares de anos para se decompor e terminavam por contaminar os solos e lençóis freáticos.

Mas não é só na roupa que vestimos e no carro que dirigimos que devemos poluir menos. Quando se pensa em construir uma casa, hoje em dia, cada vez mais se cogita na idéia de utilizar materiais ecologicamente corretos. Além de ajudar o planeta, a longo prazo, vários desses materiais podem trazer benefícios e te fazer economizar mais na hora de construir sua casa. E foi pensando nisso, que hoje trouxemos pra você uma pequena lista de sugestões de materiais que você pode utilizar para construir uma casa mais consciente com o meio ambiente.

Vamos começar pelo telhado, você pode usar as telhas ecológicas, que custam entre R$29 e R$31, ou usar cumeeiras universais que custam entre R$35 e R$39. Outra boa idéia, para deixar sua casa bem ventilada e ajerada são as telhas para ventilação que custam cerca de R$145. Outra forma de economizar é no aquecimento da sua casa. Pra você que morar num lugar frio e quer tomar um banho quentinho antes de dormir, sem gastar com energia elétrica você pode usar os materiais para aquecimento solar, como o coletor de energia solar da CSA, que custa cerca de R$416, também pode esquentar sua água com o aquecedor solar Belosol, de capacidade de 200L e voltagem 127V, que custa cerca de R$869. Outros coletores solares como o CLVH 1.03 LX e o CLVG 1.50 LX, que custam entre R$303 e R$443. Um reservatório solar de baixa pressão com capacidade para 300 Litros, LX, bivolt, também é uma boa idéia, custa cerca de R$1.433.

A parte hidráulica da sua casa também é importante e existem diversos produtos ecológicos para essa parte da construção sustentável. Um chuveiro Anti-Vandalismo Pressmatic da Docol custa cerca de R$179, e um misturador Monocomando para Lavatório de Mesa, da mesma marca, custa cerca de R$614. Também da Docol são as torneiras de parede compacta e a válvula para mictório Crome, que custam R$182 e R$202, respectivamente. Também estão disponíveis a torneira eletrônica de bancada da Fabrimar, que custa cerca de R$586, e a válvula para mictório com senso eletrônico, da Docol por R$1272. Você ainda pode aproveitar o sol na iluminação da sua casa. As luminárias solares variam, desde as de jardim, que custam R$84. a de Led, por R$255, ou borboleta e a libélula, ambas por R$51. O piso permeável Oterprem também pode ser bom. E custa pouco. A partir de R$1,10 os retangulares ou de 16 faces, até R$11, a guia leve de pavimentação.

Ao usar produtos ecológicos você vai ficar com a sua consciência limpa e garantir que você está fazendo o bem pela natureza, além de economizar bastante. O que você está esperando? Incremente já esses produtos na sua construção e viva bem!

Desenvolvimento Sustentável

Conceito de Desenvolvimento Sustentável

O termo desenvolvimento sustentável utilizou-se pela primeira vez em 1983, quando a Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, criada pela ONU, se reuniu pela primeira vez. Esta comissão fez uma proposta que falava sobre o desenvolvimento econômico em conjunto com a preservação do meio ambiente, criando então o conceito de desenvolvimento sustentável.

Todos os trabalhos e pesquisas foram concluídos em 1987, quando se foi apresentado um diagnóstico de todos os problemas ambientais que poderiam causar problemas gravíssimos no futuro. Este trabalho ficou popularmente conhecido como “Relatório de Brundtland”. Esta nova forma de pensar foi amplamente difundida e aceita pelos membros desta comissão, e pela população mundial. Na Eco-92(reunião em prol do assunto) , foram discutidos e assinados um conjunto de vários documentos e tratados cobrindo o meio ambiente, tratando de assuntos como: biodiversidade, clima, florestas, desertificação, entre outros.

O termo desenvolvimento sustentável não tem outro significado, a não ser: utilizar os recursos naturais com respeito, prezando as gerações futuras e ao meio ambiente.

A tentativa de preservar os bens naturais é à dignidade humana. É o desenvolvimento que não explora e tão pouco esgota os nossos recursos. Fazendo assim uma grande tentativa de conciliar crescimento econômico e também a preservação da natureza.

A ONU divulgou alguns dados que revelam que se todos os habitantes do nosso planeta terra começassem a consumir os recursos naturais como os americanos fazem, precisaríamos dos recursos de outros 2,5 planetas terra para que as gerações futuras pudessem sobreviver. A sociedade está consumindo muitos recursos naturais, e estas quantidades elevadas de recursos explorados fazem que a natureza não seja capaz de repor a todos eles. Em não muito tempo, se por acaso continuarmos nesse ritmo de destruição, as gerações futuras não terão água e nem energia em quantidades suficientes para atender às necessidades da população.

Alguns cientistas preveem que a maioria dos conflitos e guerras nos próximos anos, serão decorrentes da escassez de recursos naturais em determinadas áreas do nosso planeta.

A primeira etapa para se conquistar o desenvolvimento sustentável é ter a consciência de que os recursos naturais não são infinitos. Utilizar os bens naturais com critério e planejamento também é muito importante. A partir daí é só traçar um novo modelo de desenvolvimento econômico para a humanidade, e fazer com que sociedade possa segui-lo de forma correta.

O Desenvolvimento Sustentável é uma forma de consumir de garantir não só a satisfação das necessidades das gerações atuais, na tentativa de guardar os recursos naturais ao máximo possível, para que as gerações futuras possam usufruir dos mesmos. De forma mais simples, isto significa que a população mundial deve optar pelo consumo de bens produzidos com toda a tecnologia e os materiais menos ofensivos, que pouco causam dano ao meio ambiente. Também é importante que se faça uma utilização racional de todos os bens de consumo, na tentativa de evitar o desperdício e o excesso de recursos utilizados sem uma verdadeira necessidade. É importante cuidar para que os resíduos não possam provocar degradação a nossa natureza. E chegando ao ponto principal, é muito importante fazer coisas que possam ajudar a sociedade para que a mesma possa rever os padrões insustentáveis de consumo e tentar minorar as desigualdades sociais ao máximo.

É muito importante que se utilize a conhecida regrinha dos três ‘erres’. Nesta regra, é necessário adotar a práticas importantes. O primeiro ‘erre’ significa: Redução, onde se recomenda evitar o uso de produtos e recursos naturais desnecessários. O segundo ‘erre’ significa: Reutilização, e nos sugere que possamos reaproveitar todas as embalagens, plásticos e vidros, que utilizamos no dia a dia. E por fim, o terceiro ‘erre’ significa: Reciclagem, que nos pede para que possamos separar o que se pode reciclar, ou não. Utilizando estas práticas em nosso dia a dia, estaremos colocando em prática o desenvolvimento sustentável, que é muito importante para o meio ambiente.

Sustentabilidade – O que é

O que é Sustentabilidade

Ultimamente, muito se tem ouvido sobre a palavra ‘sustentabilidade’, porém nem todos entendem o verdadeiro significado do o que é sustentabilidade. E é por isso que fazemos este artigo explicativo, para que você possa entender de forma ampla o verdadeiro significado da sustentabilidade.

O conceito da Sustentabilidade é que a sociedade humana deve garantir a continuidade dos recursos do meio ambiente nos aspectos sociais, econômicos, ambientais e culturais.

Mas, e o que tudo isso significa na prática?

Na prática, sustentabilidade é uma palavra que representa a promoção da exploração de determinadas áreas ou o até mesmo o uso de recursos do planeta, sendo esses recursos naturais ou não, de forma que se possa tentar não prejudicar o equilíbrio entre o meio ambiente e as comunidades humanas ao máximo possível, levando em consideração toda a biosfera que dele necessita para poder existir. Pode até parecer um conceito um tanto difícil de ser implementado, que em muitos casos, é economicamente inviável. Porém, não é desta forma que as coisas funcionam. Até mesmo nas atividades humanas que impõem um grande impacto no meio ambiente, como a extração vegetal, a agricultura em larga escala, ou a mineração, a extração vegetal, a agricultura em larga escala, a fabricação de papel e celulose e todas as outras. A aplicação de algumas práticas sustentáveis em empreendimentos desta área revelou-se economicamente viável, e em muitos destes casos trouxe um verdadeiro fôlego financeiro.

Desta forma, todas as ideias de projetos empresariais, que de alguma forma atendam aos parâmetros de sustentabilidade, começaram a expandir-se e a espalhar-se por vários e vários lugares antes degradados do planeta. Muitas comunidades em todo o mundo viviam sofrendo com doenças de todos os tipos, doenças que seriam provocadas por indústrias poluidoras instaladas nas proximidades, viram sua qualidade de vida começar a recuperar-se aos poucos e melhorar ao longo do desenvolvimento de tais projetos sustentáveis. Da mesma maneira, áreas que há algum tempo atrás eram consideradas verdadeiramente extrativistas e que estavam sendo condenadas ao extermínio por determinadas práticas predatórias, hoje tem uma chance enorme de se recuperarem após a incrível adoção de projetos de exploração com fundamentos sólidos e inteligentes na sustentabilidade e na viabilidade de uma exploração não predatória dos recursos disponíveis no meio ambiente. Desta mesma forma, cuidando para que o houvesse o envolvimento das comunidades viventes nas regiões destas proximidades fosse total e que elas pudessem ganhar algo com tudo isso – todos são beneficiados e tentam cuidar para que os projetos atinjam o sucesso esperado.

Também é importante levar em consideração a exploração e a extração de recursos com mais eficiência e rapidez, ter a garantia das possibilidades de recuperação das áreas que já estão degradadas é a chave para que a sustentabilidade seja uma prática realmente exitosa e aplicada com muito mais frequência aos grandes empreendimentos. Preencher as necessidades humanas com recursos naturais e tentar garantir a continuidade da biodiversidade local; além de manter, e melhorar, a qualidade de vida das pessoas inclusas nas áreas de extração desses recursos é um desafio que deve ser vencido todos os dias. É muito importante recordar da importância das autoridades neste processo.

Para simplificar, podemos afirmar que a tentativa de garantir a sustentabilidade de um projeto ou de uma região determinada, é dar garantias de que mesmo explorando esta área, a mesma continuará a prover recursos eficientemente, garantindo o bem estar econômico e social para as pessoas que vivem nestas regiões por várias e várias gerações. Manter a força vital e a capacidade de regeneração mesmo diante da ação contínua e da presença atuante da mão humana.

Agindo desta forma, é possível fazer do nosso país e do nosso planeta um lugar sustentável, além de prover qualidade de vida para as pessoas que aqui vivem. Não deixe de fazer sua parte!